Blog

news_1402_2.jpg

Brasil deve migrar para IPv6 até o início de 2013

Teles se comprometeram a entregar até o meio do ano conexões para mercado corporativo com novo protocolo e também realizar testes com usuário final.

O Brasil deverá concluir a migração para o IPv6 (Internet Protocol versão 6) até janeiro de 2013. A previsão é do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (Nic.br), ligado ao Comitê Gestor de Internet do Brasil. O órgão vem devolvendo uma série de ações para estimular os evolvidos no desenvolvimento da web no País a habilitarem em suas redes o novo padrão. As teles se comprometeram a entregar conectividade baseada na tecnologia até o meio desse ano e também realizar testes com o usuário final.

O IPv6 é o substituto do IPv4, o principal protocolo de comunicações da Internet, que está ficando sem espaço para endereços IP. A nova versão não é compatível com a antiga, por isso as operadoras de rede e sites precisam atualizar hardware e software para suportá-lo.

As operadoras de rede podem tanto trabalhar com ambos, no que é chamado de modo dual-stack, ou fazer a “tradução” entre IPv4 e IPv6. Apesar disso, especialistas dizem que o funcionamento simultâneo poderá gerar lentidão e custos extras, exigindo a substituição do antigo padrão.

Para medir o grau de adoção do novo protocolo no Brasil, o Nic.br realizou na semana passada um teste nacional com mais de 180 websites de aproximadamente 80 organizações do País que já tinham ativado a tecnologia.

A avaliação técnica em grande escala aconteceu na Campus Party durante a “Semana IPv6”. Participaram da iniciativa provedores de acesso, empresas de conteúdo, operadoras de Telecom, fabricantes e diversas entidades. Entre os que aderiram ao movimento estavam UOL, Alog, Globo.com, iG, Telefônica, Terra, e USP.

A “Semana IPv6” foi a versão brasileira inspirada no “World IPv6 Day”, teste mundial realizado em junho do ano passado. Como um dia foi pouco para fazer as análises, o Nic.br resolveu estender o período e aproveitar o laboratório da Campus Party, que segundo os organizadores atraiu cerca de 7 mil visitantes.

“O objetivo era verificar se o IPv6 iria funcionar sem quebrar o IPv4. A conclusão é que não houve prejuízo e alcançamos a nossa meta”, conta Antonio Moreiras, coordenador do projeto IPv6.br do Nic.br. A proposta era reunir não apenas os websites, mas também os provedores e os usuários para fazermos testes mais próximos da realidade.

A experiência, segundo o especialista, estimulou internautas a navegar em cima da nova tecnologia e deu oportunidade para as empresas corrigirem falhas. 

Fonte:  http://idgnow.uol.com.br/internet/2012/02/13/brasil-deve-migrar-para-ipv6-ate-o-inicio-de-2013/